10 provas de que Ricardo Boechat era o âncora de jornal mais doido do Brasil

ATUALIZADO: Uma homenagem a um dos jornalistas mais queridos do Brasil.

O jornalista Ricardo Boechat, apresentador de dois jornais da Bandeirantes (um na TV e outro no rádio), morreu em um acidente de helicóptero em São Paulo nesta manhã.

Reprodução / Via Band News

Em junho de 2015, o editor Alexandre Orrico publicou este post com algumas das coisas mais malucas que o Boechat já tinha feito, no ar e nas suas redes sociais, e que contribuíram para que ele se tornasse um dos jornalistas mais queridos do Brasil.

Publicidade

2. Aqui neste programa da rádio BandNews Boechat contou como ficou enterrado até a cintura em uma praia jogando frescobol depois de tomar LSD. "Coisas desse tipo eram feitas na minha época, para o bem e para o mal", diz.

"Uma vez eu tomei um LSD na praia de Taipuaçu. Fui jogar frescobol, eu e um outro maluco que tinha feito a mesma coisa. Era um dia de semana, tava de férias, sei lá o que que eu tava fazendo. A gente foi jogar frescobol e a maré foi enchendo e a perna da gente foi enterrando na areia. Acho que foi a única partida de frescobol jogada com areia na cintura."

Publicidade

3. E aqui deu uma de Didi Mocó, quando escalou a estátua do Cristo e postou uma foto lá de cima.

      

Publicidade

4. Boechat também já fez o símbolo do metal e comparou-se a Keith Richards junto com o colega Boris Casoy, a quem chamou de Ozzy Osbourne.

      

Publicidade

6. E se divertiu bastante com um carimbo que disse que será usado em cartazes de políticos nas próximas campanhas eleitorais.

"Foda-se! Huhahsahaeha"

7. Aqui ele ironizou o fato dos políticos negarem que receberam dinheiro de empreiteiras e ligou ao vivo para sua mãe para perguntar se ela era quem tinha recebido o dinheiro.

"Mãe? Alô mãe? Tem um dinheirinho pra gente ai, mãe?"

Publicidade

8. Não foi só na TV que ele falou com a mãe. No rádio ele ligou de novo para ela, dessa vez para perguntar se era filho do Frank Sinatra. "Não dormi com Sinatra não. E ele era mafioso! Seu pai podia ser o que era mas não era mafioso", disse a mãe do Boechat.

,

9. Algumas semanas depois no mesmo programa ele fingiu ser Adamastor, marido da Juvelina, para falar com um golpista que, de dentro da cadeia, fingia ser um atendente da TIM.

Publicidade

10. E, se você topasse o Boechat por aí, não precisava pensar duas vezes: podia ir lá pedir uma selfie que ele tirava. "Também sei fazer selfie coletivo, viu, minha gente?"